Natasha: A caçadora de vampiros


     Noite de lua cheia, em plena madrugada, Natasha recebe uma ligação de seu empresário musical, dizendo para comparecer a um show urgente, pois os fãs estão revoltados com o atraso de três horas e meia. Atendendo ao pedido do chefe ela se levanta de sua cama e deixa a tigela de brigadeiro sobre a mesma. Em seguida, desliga o telefone da tomada, pois sabe que ele sempre toca durante a madrugada, e isso a irrita. Toma um banho e se veste com sua roupa estilo gótico, e antes de sair coloca seu anel de caveira, que segundo ela, lhe dava boa sorte para que seus shows fossem memoráveis. Natasha é do tipo de rockeira que gosta de enlouquecer a platéia, fazendo-a ficar eufórica com as músicas que ela compõe.
     Vocalista da banda Darkside, Natasha desde criança gosta de ouvir todo tipo de rock, mas o seu preferido é o heavy metal, o qual seu pai incentivou-a a gostar. Mas um dia trágico do passado a atormenta nos seus dias atuais. A morte de seu pai ainda é desconhecida, as investigações duraram cerca de três anos e nada foi resolvido. Um mistério ficou em aberto: Quem matou o pai de Natasha? Ela tinha uma suspeita completamente diferente da dos policiais e de sua mãe. Suspeitava que fossem vampiros os reais assassinos de seu pai. Quando ela disse para os policiais sobre quem seriam os suspeitos começaram a rir da pobre menina, claro, não iam acreditar numa ingênua criança de apenas 8 anos de idade, que acredita com veemência em criaturas monstruosas. Naquela época Natasha não tinha muito conhecimento sobre o assunto, mas seu pai lhe contava diversas lendas macabras que sobre vampiros que assassinavam brutalmente na busca de saciar a sede de sangue. Ela se assustava um pouco com as histórias, pois gostava dos contos de terror que seu pai narrava de uma maneira - para ela - incrível. Após a trágica morte de seu pai, Natasha acompanhou de perto toda a perícia, depois de muita insistência para ver o corpo de seu pai. E reparava em todos os ferimentos, que eram cortes profundos no abdômen e no tórax, incluindo alguns arranhões que não pareciam ter sido provocados por pessoas normais. Este detalhe os peritos sequer perceberam. Foram fazer as últimas observações e conversar com os policiais antes de levar o corpo para o necrotério. Natasha naquele momento de dor, só queria ter seu pai de volta, abraçando-o forte e chorando copiosamente, ela jurou que um dia vingaria a sua morte e que o assassino iria pagar por todos os seus crimes, tanto na Terra quanto no inferno. Uma forte chuva caíra naquele dia de luto mórbido. Natasha beijou o rosto de seu pai, o último adeus, porém, ela percebeu algo no pescoço dele. Era uma ferimento que assemelhava-se à uma mordida de cachorro, e não era uma mordida qualquer. Percebendo esse detalhe até então implícito, ela foi direto contar para os peritos e mostrou a eles a mordida. Os peritos estavam com guarda-chuvas e não tomaram a iniciativa de dar um para a garota. Natasha afirmava que foram vampiros de verdade que mataram seu pai:
- Você precisam acreditar em mim, foram eles, eu tinha razão o tempo todo, foram vampiros. Olha aqui a mordida, nenhum ser humano faria isso, tá na cara! - dizia ela aos prantos.
Os peritos não perderam tempo com toda aquela choradeira e sem dizerem uma palavra sequer para a menina, levaram o corpo do homem para o carro. Natasha, sem sucesso, tentou convence-los:
- Acreditem em mim, esses ferimentos não foram causados por pessoas comuns, vocês precisam me entender, não levem meu pai embora, por favor, por favoooooor!!!
      Os peritos largaram a pobre menina na forte chuva que caíra sobre aquela cidade. O corpo foi colocado no carro e saíram em disparada direto para o necrotério. Bastante arrasada com tudo aquilo, Natasha continuou chorando enquanto a chuva ficava cada vez mais forte. Não aguentando sentir a perda, resolveu gritar bem alto para descarregar o seu ódio e sua revolta. Depois de tudo isso, Natasha nunca mais foi a mesma, se tornou uma mulher egocêntrica, largou os estudos para se candidatar a um show de calouros, onde foi aprovada pela sua potência vocal nunca antes vista. Em seguida, fez alguns amigos em um cursinho no qual ela se matriculou por obrigação e formou sua própria banda, que antes se chamava Nortygan e dois anos depois mudou o nome para Darkside. Toda a tragédia envolvendo seu pai aconteceu em 1986.
                         
                                                                                Agora, nos tempos atuais, Natasha é uma renomada cantora de rock, com músicas fortes e imprevisíveis. Após ter saído de casa , em plena madrugada pata fazer o seu show, Natasha, dentro do táxi, se lembra da morte de seu pai como se fosse ontem e chora baixinho para o motorista não ouvir. Chegando à casa de show, ela se prepara no camarim, enxugando as lágrimas e passando sua maquiagem, que a deixa com uma aparência vampiresca. Antes de subir no palco, olha para o seu anel de caveira e diz:
- Chegou a hora, me faça ser a cantora de rock mais incrível desse mundo.
Natasha diz aquela frase todos os dias antes de entrar no palco. A platéia fica eufórica quando Natasha entra no palco, cantando o primeiro hit que consagrou a banda: a enigmática "Nêmesis".
    Após o término do show, as quatro horas da manhã, Natasha e os outros integrantes da banda dormem no ônibus enquanto voltam para casa, para gravar novas músicas para o próximo álbum. Depois de todo o material gravado, Natasha sobe para o seu apartamento para dormir um pouco. Já são nove da manhã e ela precisa de um longo descanso durante o dia para descansar as cordas vocais.
     À tarde, Natasha decide caminhar pelo parque para se distrair. No caminho, ela vê uma cena horrenda: um homem estuprando uma mulher atrás de uma árvore. Usando uma faca, ele perfura a vagina dela com toda a força. Natasha fica horrorizada com o que está vendo e não sabe o que fazer, não há ninguém no parque, está tudo deserto, as pessoas viajaram por causa de um feriado. A mulher, que parece estar desmaiada, não esboça reação alguma. Natasha toma coragem e vai enfrentar o homem. Ela pula em cima dele, os dois acabam bolando no chão e mesmo sendo parado o homem não larga a faca, o que acaba fazendo com que ele tente esfaquear Natasha, mas ela desvia e dá um soco nele, lhe quebrando alguns dentes. Natasha pega a faca e o ameaça:
- Vai embora daqui antes que eu acabe com sua vida, seu nojento. Como pode fazer isso com uma mulher!? Seu monstro!
O homem dá a ela um cartão e diz:
- Este é o cartão de visita do meu chefe. Ele sabe quem você é e quer conhece-la. Se interessou muito pela sua personalidade forte e quer esclarecer algumas coisas.
Natasha desconfia e olha o endereço. Fica perto da reserva florestal, porém , o local é proibido para visitantes noturnos. Ela reclama dizendo em tom arrogante:
- Eu não vou cair nessa tá legal!? Tá pensando que eu sou tão ingênua a ponto de cair em armadilhas? Não sou uma pessoa de cair em armadilhas, eu crio armadilhas para os meus inimigos antes deles me atingirem.
O homem tenta manipula-la para que ela compareça ao local:
- Então vai perder a grande recompensa que ele lhe dará. Você não quer ficar mais famosa? Então vá lá, ele vai lhe dar algumas orientações importantes.
Natasha não percebe, mas está sendo hipnotizada pelo tal maníaco e acaba confirmando que vai ao local:
- Sim, eu vou, chegarei lá pontualmente. - diz ela completamente em transe hipnótico do homem, que na verdade é um vampiro que tem a capacidade de manipular as pessoas.
O homem/vampiro se aproxima dela e diz:
- Agora vá para casa, durma um pouco, e quando for às dez horas estaremos eu e meu chefe esperando por você.
     Natasha com um olhar completamente estático, vai para casa. O efeito da hipnose duraria até as dez horas da noite, horário em ela irá para o casarão velho perto da reserva florestal. Chegando em casa, Natasha se deita em sua cama e pega no sono imediatamente. A noite chega e o relógio marca nove horas e cinquenta e dois minutos. Natasha corre desesperada, pega a chave do seu carro recém saído da oficina mecânica e sai com ele para ir ao casarão misterioso.


     Estacionando seu carro em frente a uma árvore repleta de corujas, Natasha corre e arromba a porta da casa com bastante força fazendo-a quebrar em pedaços. Ela anda pela sala de estar vazia, sem nenhum móvel. Em seguida, sobe a escada de madeira velha infestada de cupins, e arromba a porta do cômodo acima da escada, lá ela tem uma surpresa desagradável. Encontra um vampiro de grande porte sentado em um trono de metal com um pentagrama em cima. Seu nome é Barão Crimson, líder do clã dos vampiros assassinos. Por um momento Natasha o encara com bastante ódio, como se já o tivesse bisto em algum lugar. Ela faz uma pergunta direta:
- Foi você... quem matou o meu pai? - neste mesmo momento uma lágrima escorre de seu rosto.
Crimson tenta fazer um jogo de palavras para confundi-la:
- Como você pode ser insensata, vir até a mim com uma pergunta absurda dessas. Uma reles humana de caráter desprezivo me desafiar  é algo que eu nunca tinha visto em todos os meus 254 anos, mas falando do seu pai, tenha certeza de que foi ele quem pediu para ser morto, ingênuo como a filhinha querida dele acabou cedendo aos nossos mandamentos... e nos traiu descaradamente.
As palavras de Barão Crimson fazem Natasha ficar com inúmeras perguntas na cabeça. Mas só uma a intriga de verdade:
- Como assim? Meu pai tinha ligação com vocês?
Crimson não responde a pergunta e chama Keller, o vampiro sugador de almas, para acabar com a vida de Natasha:
- Keller, livre-se deste ser agora mesmo, está manchando o meu campo de visão.
Natasha não hesita e pega uma espada, e antes que Keller pudesse ataca-la, ela arranca sua cabeça fora, o decapitando com a espada, que tem um ótimo fio de corte. Uma poça de sangue se forma em questão de milésimos. O chão é inundado com o sangue e junto dele a cabeça de Keller, que se desintegra logo restando apenas os olhos. Seu corpo também se desintegra e uma fumaça preta com cheiro de enxofre emerge do corpo e Keller vira pó. Natasha, bastante suada, pega os olhos de Keller e o esmaga com suas próprias mãos, sujando-as de sangue. Crimson, demonstrando cinismo, bate palmas aplaudindo Natasha por ela ter matado Keller com um golpe só. Natasha não aguenta e dispara uma resposta que enfurece o líder:
- É isso o que acontece com vampiros que se metem no meu caminho, eles são mortos cruelmente, sentem minha ira na pele e é isso que vai acontecer com todos vocês se chegarem a me enfrentar, principalmente você. Vão pagar muito caro pelo que fizeram com o meu pai, isso não ficará impune, eu tinha razão sobre vocês... vocês existem! Monstros que não deveriam ter saído do lugar de onde vieram...
Crimson interrompe-a enfurecido:
- Já chega! Se quer mesmo saber a verdade, vai saber, mas antes terá que dar algo que me pertence e está na sua mão direita.
Era o anel de caveira que Natasha usa desde criança, foi o seu pai quem lhe deu como presente de aniversário. A caveira do anel começa a brilhar intensamente com uma luz vermelha e acaba machucando Natasha, que sente uma dor terrível no dedo em que está o seu anel. Ela pergunta:
- O que tá acontecendo? Porque o anel tá brilhando? Por acaso ele é seu?
- Você acertou em cheio, é claro que este anel é meu, é um dos meus amuletos de poder que eu uso para ficar mais forte, e acho bom você me devolve-lo pois vou precisar dele para aumentar meus poderes... e para acabar com você também, da mesma forma que seu maldito pai.
Natasha não deixa barato e o responde:
- Eu nunca vou te dar este anel, mesmo que meu dedo seja esmagado não vou dar ele pra você, nunca! é a única lembrança do meu pai que me restou e eu não vou deixar você destruí-la assim, porque eu vou destruir todos vocês, não vai sobrar nenhum!
Barão Crimson usa seu poder telecinético para tentar tirar o anel do dedo de Natasha, que grita de dor pelo anel apertar cada vez mais o seu dedo. O vampiro, com muita sorte, consegue tirar o anel. Natasha cai sobre a poça de sangue bastante debilitada. Crimson manipula o anel apenas com a sua mente. Levanta sua mão e o anel entra rapidamente em seu dedo maior. Em seguida, ele diz:
- Bem, agora que recuperei minha sétima fonte de poder, me sinto até mais jovem. E agora garota rebelde, você será meu brinquedo... até eu me cansar de brincar.
Continua...

Comentários

  1. Curiosa.... Apesar de ter visto um pouco de pressa os personagens foram bem construídos e a narrativa prende. Não posso fazer uma avaliação completa, mas minhas primeiras impressões são: pressa, compromisso, simpatia, curiosidade e imã.
    Obs:: Esse Crimson me fez lembrar o Eric de True Blood.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quinta-feira será postada a parte 2 e na segunda a parte 3 :)

      Excluir

Postar um comentário

Críticas? Elogios? Sugestões? Comente! Seu feedback é sempre bem-vindo, desde que tenha relação com a postagem e não possua ofensas, spams ou links que redirecionem a sites pornográficos. Construtividade é fundamental.

As 10 +

10 melhores frases de Vegeta

10 melhores frases de Fullmetal Alchemist

10 melhores frases de O Homem de Aço

Gifs assustadores que não vão deixar você dormir! (Especial Palhaços)

10 melhores frases de Coringa

10 melhores frases de As Terríveis Aventuras de Billy e Mandy

10 melhores frases de Cavaleiros do Zodíaco

10 melhores frases de Death Note

Baú Nostálgico #23: Inuyasha

As Meninas Superpoderosas: A História de Brenda