5 curiosidades sobre Contos do Corvo


E de volta com mais uma lista! Hoje falarei a respeito de cinco curiosidades - quase ia sendo três - sobre minha segunda série de terror lançada aqui no Universo Leitura: Contos do Corvo. Ela ainda está em hiato, o qual se deu de forma impensada, houve um ponto em que priorizei série X, depois Y, acabando por quase me fazer esquecer que as aventuras do peculiar contador de histórias pediam para seguirem com regularidade, seja nas sextas ou nos sábados, mas a nova pausa foi inevitável, quando dei por mim a série já se encontrava em um hiato cuja possibilidade mal passava pela minha cabeça, mas relevei e aqui estou, ao menos querendo me redimir por quase esquecê-la, o que considero um mal tratamento da minha parte, então farei de tudo para que esse post sirva como uma espécie de "pedido de desculpas". Já antecipando o fim do hiato que será neste mês, com as últimas 8 edições - entre elas o prólogo de Crônicas de Raposa - que faltam para completar a leva de 15 edições para este ano.

Seguem abaixo algumas curiosidades sobre esta série que surgiu aqui no blog com certo mistério:


1 - A inspiração veio de uma página do Facebook e um post de um site de terror

Deixando bem claro desde já: Não tenho conta na rede social supracitada, nunca tive e dificilmente terei por inúmeras razões. A página em questão foi encontrada por mim através de uma imagem que vi e era mais voltada ao humor negro em postagens sarcásticas. Ela se chama Corvo José e atualmente mantém-se inativa. É difícil explicar com máxima exatidão, tentar esclarecer o que senti durante o lampejo de criatividade que foi mais gradual do que abrupto. Seguido disso, eu estava navegando pelo site Medo B, bastante famigerado pela blogosfera por seu conteúdo focado em leitura creepy - basicamente a premissa inicial do Universo Leitura -, e acabei encontrando um post intitulado "O Corvo me disse - Poemas Obscuros" e posso dizer que ele completou os 5% do que faltava para a inspiração se tornar plena. Daí criou-se a ideia de uma série com atmosfera sombria, mas com maior enfoque em histórias com caráter de lenda urbana, com seu protagonista contando-as para dois personagens anônimos - estes foram idealizados logo depois -, tudo ambientado em um cemitério. A menina e o coveiro seriam os coadjuvantes e ouvintes das tramas absurdas e bizarras contadas pela ave falante. Sobre o conceito de falante, demorou um pouco mais para definir como se daria a interação entre o corvo e os personagens, então estive dividido entre uma ave literalmente falante, com cordas vocais de funcionalidade similar à de humanos, e uma ave telepata, comunicando-se com os personagens pela mente. A segunda opção me soou mais razoável dada a atmosfera da série e ela foi a escolhida.


2 - Provavelmente é a série com o maior número de hiatos no blog 

Creio que esteja no páreo com Capuz Vermelho - que deveria ser publicada todas as quartas, semanalmente mesmo. Mas analisemos bem a comparação: Capuz Vermelho foi lançada dois meses antes de Contos do Corvo. Janeiro e Março, respectivamente. Contos do Corvo teve somente 12 publicações em 2015, enquanto que a série da "chapeuzinho vermelho adulta" teve duas temporadas lançadas em um ano, totalizando 24 capítulos. O Corvo esteve silenciado por Novembro e Dezembro do ano passado e Janeiro deste, somente voltando em Fevereiro após eu renovar a série para uma leva de mais 15 edições. Capuz Vermelho encerrou sua 2ª Temporada em Novembro, retornando com a 3ª já em Dezembro, rolou um hiato de fim de ano, depois mais hiatos de duas ou três semanas entre um capítulo e outro - causando um atraso frustrante -, e neste ponto Contos do Corvo já se encontrava em publicação após seu retorno. Entretanto, o Corvo fora silenciado novamente após a edição 19, pois eu ainda não tinha a estrutura do prólogo de Crônicas de Raposa completamente formada, mas este hiato especificamente, como foi dito mais acima, ocorreu de modo involuntário, quando menos percebi já haviam se passado semanas desde a publicação da edição 19 por pura falta de atenção para com a série.

Que eu tenho direcionado mais atenção à Capuz Vermelho ultimamente, isso é vero, confesso. Eu procuro amar as séries que escrevo na mesma medida, mas é difícil manter o foco em 4 delas simultaneamente.


3 - É realmente parte de um universo compartilhado 

Nem Tudo É O Que Parece - a série-mãe deste universo - introduziu alguns personagens que pareciam predestinados a receberem um aprofundamento mais forte. A começar pelo assassino Cara-Borrada, antes apresentado na edição 8 de NTEOQP (abreviação meio desajeitada) e logo em seguida na edição 4 de Contos do Corvo e a partir deste momento foram surgindo os primeiros indícios de que ambas as séries estavam interligadas de alguma forma. Foi algo súbito, diferentemente do processo criativo que tive com CDC. A história de origem do vilão contada em uma série diferente, então tal ideia desenvolveu-se de modo natural. Recentemente este universo teve mais uma adição: Frank, O Caçador - spin-off da precursora. E logo mais Contos do Corvo ganhará seu derivado, Crônicas da Raposa, cuja ligação parece meio estranha, ainda mais quando lancei a sinopse da história de Foxy muito antes do prólogo, então pode-se perguntar: "O que uma tem a ver a outra?". O prólogo tem a explicação geral, além de algo relacionado à origem da "habilidade telepática" do corvo.


4 - Caso estendida, a série tenderá a mudar de cenário 

Obviamente, a menina e o coveiro não ficarão até o desfecho da série, pois, desde o início, não foram pensados como personagens fixos. Em outras palavras, ambos sairão de cena, provocando uma inevitável mudança de ambientação e, consequentemente, a introdução de novos personagens para interagir com o corvo em uma possível nova fase. Até mesmo um novo formato foi pensado, o qual consistiria em duas histórias inicialmente aparentando serem totalmente desconexas, mas no fim seria revelado um surpreendente cruzamento entre elas, quase como uma espécie de crossover.


5 - Algumas histórias narradas podem ser pura lenda inventada pelo corvo

Meio brochante? Um pouco. É mais confortável pensar que toda lenda contada por ele possui um fundo de verdade muito bem ocultado. Da mesma forma que eu disse que existem histórias relatadas em Nem Tudo É O Que Parece que estão interligadas, não direi quais são as supostas lendas aparentemente, em boa parte, brotadas do imaginário bizarramente criativo do corvo.


E estas foram as 5 principais curiosidades. Honestamente, pensei que mal passaria de duas ou três, mas consegui discorrer sobre quase tudo. Contos do Corvo é publicada às sextas (não todas as sextas, claro, por uma razão que, acredito eu, já deixei esclarecida) e também aos sábados caso haja imprevistos que me impeçam de postar no dia anterior.

OBS: Após a estreia de Crônicas da Raposa, a série entrará em novo hiato, voltando somente em Janeiro do ano que vem, enquanto o spin-off estiver em sua primeira pausa.


Post com as 5 curiosidades sobre Nem Tudo É O Que Parece:

http://universoleituracontoscreepys.blogspot.com.br/2015/05/5-curiosidades-sobre-nem-tudo-e-o-que.html

Sinopse de Crônicas da Raposa no Calendário das "estreias":

http://universoleituracontoscreepys.blogspot.com.br/2015/11/calendario-das-estreias.html


*A imagem acima é propriedade de seu respectivo autor e foi usada para ilustrar esta postagem sem fins lucrativos ou intenções relativas a ferir direitos autorais. 


Comentários

As 10 +

10 melhores frases de Vegeta

10 melhores frases de Fullmetal Alchemist

10 melhores frases de O Homem de Aço

Gifs assustadores que não vão deixar você dormir! (Especial Palhaços)

10 melhores frases de Coringa

10 melhores frases de Cavaleiros do Zodíaco

10 melhores frases de As Terríveis Aventuras de Billy e Mandy

10 melhores frases de Death Note

As Meninas Superpoderosas: A História de Brenda

Crítica - Saint Seiya: Soul of Gold