terça-feira, 2 de maio de 2017

Dragon Ball Super merece ir além de preencher lacunas

Toei Animation 
Pouco tempo antes da estreia do anime na TV japonesa (Fuji TV) noticiava-se que teriam sido previstos apenas 100 episódios a serem exibidos, mas deixando aquela pontinha de possibilidade desse número se estender. Sei que há quem trate com repulsa essa nova animação da série nem sequer dando uma segunda chance e há defensores fiéis que praticamente rasgam a seda para qualquer aspecto que salte aos olhos (seja o próprio traçado ou o contexto do episódio). Posso me instalar no meio-termo? Em linhas gerais, digo que minha visão atual é de um anime que ainda está se encontrando, explanando alguns elementos inéditos com louvor mas dando umas escorregadas no que tange à coerência relacionadas à níveis de poderes. Tem as auto-referências que dão gosto de ver, imprimindo a carga nostálgica da qual a série se faz necessitada para agradar os mais saudosos.

100 episódios é pouco para preencher uma lacuna tão grande quanto um espaço de 10 anos que nem foi explorado no final da fase Z. Na última entrevista de Toyotaro (famoso mangaká responsável pelo mangá de Dragon Ball Heroes e, atualmente, de Dragon Ball Super), foi respondida a questão sobre o futuro de Dragon Ball Super, mais precisamente se ele está próximo do final do Z e se há possibilidade de ultrapassa-lo. A resposta quanto a isso foi positiva, o que só aumenta as chances de vermos uma nova saga, talvez posterior a da Sobrevivência do Universo, que possa colocar Dragon Ball GT em seu devido lugar, como história alternativa, e, quem sabe, acabar com a farra dos clickbaits no Youtube que prestam um belo de um desserviço ao fandom, especialmente àqueles que torcem por uma ligação entre as duas séries com teorias maravilhosas do tipo "Goku perderá o ki divino!?" Nem vou comentar sobre o lance do tal ki dos anjos do Gohan (personagem cujo nome é difícil não ver perto do verbo "mitar" numa mesma frase) que só fazendo piada mesmo pra dar visibilidade à essa "teoria" brotada das mentes brisadas férteis dos youtubers que se dizem fãs. É osso...

Portanto, defendo sim a extensão de Dragon Ball Super para mais episódios. Que venham mais 200, 300 episódios, mas que haja empenho por parte dos produtores visando novas melhorias, porque o anime tem um potencial digno de ser manejado a fim de fazer cair por terra essa posição de "tapa-buraco" e alçar-se como a verdadeira sequência de Dragon Ball Z. Como fã, espero, de coração, que isso aconteça.



*A imagem acima é propriedade de seu respectivo autor e foi usada para ilustrar esta postagem sem fins lucrativos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Críticas? Elogios? Sugestões? Comente! Seu feedback é sempre bem-vindo, desde que tenha relação com a postagem e não possua ofensas, spams ou links que redirecionem a sites pornográficos. Construtividade é fundamental.