Será que meus textos despertam interesse? (#UL4anos)


Me faço essa pergunta praticamente todos os dias. E quase sempre me frustro ao pensar na provável resposta. É uma das muitas questões que pairam na minha cabeça a respeito do blog e me questiono constantemente do porque não tomar uma iniciativa para melhorar esse triste quadro que é a ausência de comentários, uma pauta que, não nego, evitava falar sobre. Eu tenho problemas de confiança. Isso inclui pessoas, objetos... menos animais domésticos (eles é quem devem desconfiar dos humanos). Não dou um passo à frente em relação à isso com medo de errar. Divulgar meu espaço em alguma outra rede social tem sido um vai-vem de "vou fazer" e "fora de questão". No fim das contas, não decido nada, paro no mesmo lugar, fico na estaca zero. O exemplo óbvio: Facebook. A minha relutância se traduz em hackers. Você cria uma página bem organizada, com conteúdo, mas daí vem um estraga-prazer que invade sua "casa" e faz a maior bagunça, merdificando todo o seu trabalho.

É essa possibilidade que encaro me vendo controlando uma página do UL no Facebook. Mas surge outra dúvida: Seria o bastante? Isso é muito amplo, estou tentando resumir com o essencial aqui. Tem muito a ver com o meu eu do que com o blog em si. Eu sei que tem a ver comigo esse problema. Sou culpado por ser um desastre como divulgador do meu próprio trabalho. Só não venha dizer que não me esforcei no meu máximo para tornar meus escritos algo que envolva, faça sentir uma emoção e toque um leitor. Eu tentei, realmente tentei. Ainda tento, diariamente. E vou continuar tentando enquanto ainda me restar criatividade e um PC meio velhinho (mesmo com uma internet vagabunda).

Me mantenho acreditando em fantasmas que leem o que eu posto, só que não dá para sustentar essa crença o tempo todo, uma hora acabo me inferiorizando dizendo que ninguém lê porra nenhuma do que escrevo por desinteresse. Até porque blog é uma coisa atualmente meio relegada. O negócio hoje é Youtube. Com isso não quero afirmar que a leitura virtual perdeu prestígio. Há muitos blogs, gratuitos ou monetizados, por aí nessa vasta internet bombando. Mas quantos assim ainda restam? E quantos deles vão permanecer assim no futuro? Sucesso é finito, mas vive-lo tem seu valor. Eu não vivo nem algo que seja próximo disso. Apenas escrevo, publico, dou uma olhada no dia seguinte e não entro em pânico se tiver um total de 0 comentários. Escrevo porque necessito escrever, independente de ganhar ou não a atenção que seria bem-vinda. Ter seu trabalho apreciado e reconhecido é o céu para qualquer escritor que se preze. Mas se tem gente que resolve não dar a mínima, não vou empurrar isso goela abaixo obrigatoriamente sem respeitar decisões alheias.

Tem vezes que penso ser a minha linguagem o verdadeiro repelente contra potenciais leitores. Pura especulação, mas fica aqui registrado. Eu falo muito difícil? Uso termos muitos "complexos"? Me auto-julgando, digo que minha linguagem fica no patamar aceitável/acessível. Não sou um típico pseudointelectual que demonstra conhecimento apenas para se gabar na esperança que todos o vejam como uma fonte transbordante de inteligência inigualável e fiquem, sei lá, intimidados com tamanha sapiência e passem a "venera-lo". Pseudointelectualismo vem com arrogância no pacote que é o motorzinho para agir dessa forma e, sinceramente, me vejo longe de chegar nesse ponto, bem, mas beeem longe mesmo. Gosto de escrever bem, somente (escrever bem não é sinônimo de bom texto, atente-se). Não me identifico (nem nunca me identifiquei) com internetês, afinal de contas estou num blog cujo nome é Universo Leitura (LEITURA!), eu PRECISO redigir um texto legível, coerente e numa linguagem característica minha pois simples e obviamente é o MEU espaço e posso escrever da forma que achar confortável, é a minha identidade e não posso sacrifica-la para agradar um nicho X e deixar Y para escanteio.

Esse teste de avaliação já dura 4 anos... e por falar nisso eu esqueci que o blog fez aniversário de 4 anos em 26 de Janeiro passado e quebrei uma tradição ao não lançar postagem comemorativa nesse dia (belo administrador eu sou).

Então, parabéns ao Universo Leitura. Pronto, este é o post de aniversário. Mas será que eu, o blogueiro solitário, mereço os parabéns por ter chegado até aqui sem insistir e persistir por leitores expandindo o meu negócio? Enfim, não sei o que vai ser daqui pra frente. Não vou fazer agradecimentos por não ter ideia se estou ou não sendo lido por alguém que se interessou em visitar este espaço de humilde aparência e que só tem um objetivo: Não ser um blog comum (ou visto como genérico, porque essa adjetivação já é um pouco depreciativa e nem eu, que me auto-destruo psicologicamente, consigo chama-lo assim). Eu quero despertar interesse por leitura. Mas pelo que se dá para analisar... querer não é mesmo poder. Não pra mim.

*A imagem acima é propriedade de seu respectivo autor e foi usada para ilustrar esta postagem sem fins lucrativos. 

*Imagem retirada de: https://antenadosnaskyecia.blogspot.com.br/2017/04/netflix-apresenta-em-video-o-novo.html

Comentários

As 10 +

10 melhores frases de Vegeta

10 melhores frases de Fullmetal Alchemist

10 melhores frases de Coringa

10 melhores frases de O Homem de Aço

Gifs assustadores que não vão deixar você dormir! (Especial Palhaços)

10 melhores frases de Cavaleiros do Zodíaco

10 melhores frases de As Terríveis Aventuras de Billy e Mandy

Não era pra ser Kami-Sama na dublagem? [Resposta ao Bunka Pop]

10 melhores frases de "V de Vingança"

10 melhores frases de Death Note