Baú Nostálgico #1: Digimon Adventure

Divulgação: Toei Animation
Eis aqui a estreia de uma nova série, a qual irá abordar algumas das minhas mais célebres experiências relacionadas aos animes, séries, desenhos e filmes que marcaram uma época verdadeiramente memorável. Farei o máximo que puder para que ela não tenha o mesmo destino que Biografia Nerd e Para debater (ambas canceladas há alguns meses), portanto me dedicarei à ele quando me for possível. Em outras palavras, não publica-la em um dia específico talvez facilite as coisas e aumente as chances de que ela tenha vida longa - o que, entretanto, não a livra dos possíveis e, as vezes, necessários hiatos. Poderão haver edições na segunda, terça, ou quarta, ou quinta, ou sexta, talvez na maioria das vezes nos fins de semana, enfim, com relação à séries desse tipo não aderirei mais a posta-las em um dia estabelecido.

Aviso dado e vamos ao que interessa.

Pensei por dias a fio sobre qual anime falar para iniciar esta série. Havia uma disputa feroz na minha mente: Digimon X Dragon Ball Z. Sobre qual delas discorrerei?

Bem, dando uma vasculhada no "fundo do baú", acabei decidindo por Digimon, pelo fato de eu não ter total certeza de qual o primeiro anime que passei a acompanhar, logo o supracitado é considerado um dos primeiros, e também por outro fato que foi a curta relação que nós tivemos na época de sua primeira exibição na TV, mas que foi bastante proveitosa enquanto durou.

                                                   
                                                                            ANTES

Para ser franco, não lembro com muita clareza sobre meus primeiros contatos com este verdadeiro clássico. Eu tinha aproximadamente uns 5 ou 6 anos na época em que passava na Globo, acredito que era a última atração do dia por um motivo meio óbvio: A audiência. Acho que foi entre os anos de 2000 e 2001. Como eu disse, uma relação curta, embora marcante.

Quando já havia se tornado uma febre, àquela altura eu já tinha meus colecionáveis: Miniaturas e... claro, não poderíamos nos esquecer da promoção Lig-Mon, aqueles mini-cards que apresentavam os personagens e seus respectivos digimons com suas digievoluções, bem como os adorados brasões (o inesquecível quebra-cabeça no verso dos cards), cada um representando uma característica de cada personagem.

Lembro que eu havia perdido o do Tai, jamais o encontrei.
E nunca tive o Metal-Greymon ;-;
Eu perdia vários, ganhava incontáveis repetidos... eu era um colecionador meio sem sorte. Ainda os tenho até hoje, estão guardados em um lugar que nem mesmo eu lembro qual, mas eles ainda existem, intactos (eu acho). Foi uma promoção tão viciante que acredito que Fandangos era a minha primeira refeição do dia.

Com relação ao enredo e personagens, eu não tinha nenhum motivo contundente para reclamar. Afinal de contas, eu era criança, eu digeria qualquer áudio-visual que avistasse, desde que possuísse ação, monstros, poderes e toda a fantasia. Meus olhos se afixavam na TV assim que Brave Heart tocava no momento das digievoluções. Até lembro de um sábado em que o mundo externo passou a não existir para mim quando Greymon evoluiu pela primeira vez para Metal-Greymon.

E como esquecer da abertura cantada por Angélica? Sim, era tosco, mas naquela época era o que menos importava, acho que eu praticamente ignorava, talvez pela ansiedade em ver logo o episódio.

O tempo foi passando e então vieram as sequências do primeiro anime. Confesso que, no período em que Adventure foi exibido na Globo, não cheguei a ver o final e não lembro o porque. Sobre as continuações (Adventure 2, Tamers, Frontier e Data Squad) na minha humilde opinião são irrelevantes de certo modo. Os protagonistas que passaram por estas gerações jamais se equipararão às essências dos primeiros. Digimon Adventure, de fato, me pareceu despretensioso demais para ganhar sequências que não honrassem a premissa original. Eu as vi e até gostei em suas épocas de exibição, mas não me transmitia a mesma emoção que Adventure proporcionava e com o tempo fui pegando um certo desinteresse por elas.

Muitos anos se passaram e em 2010 eu revi o primeiro anime baixado da internet tendo os episódios passados para discos (isto foi em uma Lan House, pois na época eu ainda não tinha ganhado meu PC). Obviamente, não senti aquela emoção de anos atrás em sua totalidade, mas certamente um sentimento de nostalgia brotou em mim e foi difícil conter. Finalmente eu havia visto o desfecho e outras cenas das quais nunca tinha assistido quando mais novo. Eu ainda tenho os discos, e não pretendo abrir mão deles tão cedo quando eu quiser rever o anime através do DVD, mesmo com a internet disponibilizando-o em vários sites para acompanha-lo.


                                                                          AGORA


Atualmente pretendo acompanhar a mais nova produção chamada Digimon Adventure Tri, que há pouco tempo encerrou seu primeiro arco de 4 episódios (OVA), tendo a segunda parte prevista para lançamento em março de 2016. Além disso, minha admiração por essa obra continua a mesma. Estou com alguns planos de fanfics engavetados e que, infelizmente, não seguiram adiante por uma série de fatores. Talvez em um futuro próximo eu tire-os da "geladeira" e estes projetos possam ver a luz do dia.

Divulgação: Toei Animation 

*Fontes das imagens: digimonadventuretri.blogspot.com
                                      colecoes-elma-chips.blogspot.com
                                      anmtv.xpg.uol.com.br

*As imagens aqui publicadas são propriedades de seus respectivos autores e foram usadas para ilustrar esta postagem sem fins lucrativos ou intenções relativas a ferir direitos autorais. 


Comentários

As 10 +

10 melhores frases de Vegeta

10 melhores frases de Fullmetal Alchemist

10 melhores frases de O Homem de Aço

Gifs assustadores que não vão deixar você dormir! (Especial Palhaços)

10 melhores frases de Coringa

10 melhores frases de Cavaleiros do Zodíaco

10 melhores frases de As Terríveis Aventuras de Billy e Mandy

10 melhores frases de Death Note

As Meninas Superpoderosas: A História de Brenda

Crítica - Saint Seiya: Soul of Gold