Crítica - Ouija - O Jogo dos Espíritos

Divulgação: Universal Pictures.

FICHA TÉCNICA:

Direção: Stiles White
Roteiro: Julie Snowden, Stiles White.
Gênero: Suspense, Terror.
Duração: 89 min.
Distribuição: Universal Pictures.
Ano de lançamento: 2014.
Elenco: Olivia Cooke, Shelley Hanning, Daren Kagasoff.

Voltando a brincar de reviewer por aqui, meio que com saudades de avaliar as obras cinematográficas que mais chamam minha atenção - seja na TV ou na internet. Meu alvo desta semana foi um terror lançado há quase um ano, cuja premissa é baseada na adaptação da famosa lenda do jogo do copo, abordando sua versão melhorada que é o tabuleiro Ouija. Que o gênero hoje em dia se sustenta com clichês que causam mais indignação do que medo, é um fato irrefutável. Antes de dar uma conferida neste longa, eu dei aquela amenizada nas preocupações sobre assistir a um filme cujo gênero está em evidente decadência e carece de inovação. Esta sensação durou tão pouco quanto os (poucos) bons momentos do filme.

A trama é bastante simples de absorver tal como a esponja é para a água. Uma garota (Debbie Galarde) joga com o tabuleiro sozinha em casa e acaba por sofrer as consequências pelo ato, indo das induções ao medo até o destino inevitável da morte - única coisa que soou satisfatoriamente aceitável aliado ao bom suspense executado, elemento este que, infelizmente, decai do modo vertiginoso no decorrer da trama. Os amigos da finada decidem, então, se reunir na casa onde a mesma havia morrido com a finalidade de se comunicar com ela através do tabuleiro Ouija. É nas relações destes personagens que comecei a perceber os primeiros indícios da pobreza do desenvolvimento. Não vou criticar a escolha dos roteiristas de envolver adolescentes, mas eis o problema: As atuações. Insípidas e um tanto forçadas em alguns momentos - sobretudo na cena do jogo na casa de Debbie. Não houve nenhum momento no qual fosse propício para que eu criasse empatia por aqueles personagens, o que inclui os diálogos maçantes, monótonos e até óbvios em algumas cenas.

Pra dizer a verdade, praticamente tudo soou absurdamente óbvio! Tentativas falhas de proporcionar sustos no espectador foi o que mais me aborreceu, acho isso vergonhoso quando se tem um enredo desprovido de qualquer sombra de qualidade ou criatividade que poderia ter sido melhor trabalhado.

Os efeitos especiais pecaram da mesma forma. O tal espírito malévolo, que os protagonistas acharam ser Debbie, teve uma caracterização até digerível... pelo menos até o momento de sua morte.

A duração foi uma dos fatores que talvez tenha ajudado a prejudicar o andamento do filme e também um dos motivos para minha relutância antes de vê-lo. Um filme de terror curto, que não chega nem perto de duas horas completas ou nem passam disso, além de parecer uma produção no "melhor" estilo do canal Syfy, certamente parece ser duvidoso. Mas é como diz o ditado: "Não deve-se julgar um livro por sua capa". Eu encarei a experiência e digo que estou profundamente arrependido.

Por outro lado, tivemos alguns breves suspenses que passaram algum sentimento de tensão - a trilha sonora ajudou nisso -, mesmo que com o tempo equivalente de um doce na mão de uma criança. Além disso, as posições das câmeras cumpriram um bom papel nos poucos momentos aproveitáveis.

Considerações finais:

Não há nada que possa restituir o tempo que perdi assistindo a este longa. Com um enredo insosso e desdobramentos preguiçosos, Ouija - O Jogo dos Espíritos é o perfeito reflexo da crítica fase que o gênero tem vivido de uns anos pra cá. Um dos vários exemplos de como o terror cinematográfico está fadado a declinar cada vez mais se continuar se apoiando em clichês espremidos até a última gota.


NOTA: 3,0 - RUIM

Veria de novo? Jamais.


Comentários

  1. Muito bom seu texto!! Terror é meu gênero favorito e o que mais tem me decepcionado nesses últimos anos, sinto falta de histórias mais elaboradas como você disse no texto, ta tudo muito clichê e sem vida, não vejo mais graça em ir ao cinema ou marcar aquele final de semana na casa das amigas para assistir filme e ficar com medo de dormir sozinha depois!! hahaaha, O raros filmes de terror que tenho assistido me tiraram boas gargalhadas e peguei no sono mais rápido do que se estivesse vendo Titanic pela décima vez. Será que ainda há esperanças para esse gênero? ahsuahsua
    Bom, gostei muito do seu texto, menos um filme pra minha lista!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lady!! Muito obrigado pelo comentário, primeiramente :)
      Pois é né... Se há salvação eu não sei, mas não percamos as esperanças, pior do que está acho que não pode ficar rs. Infelizmente, esse me foi um balde de água fria, com uma abordagem absurdamente genérica. Como toda regra tem sua exceção, tenho visto alguns títulos até interessantes, já tenho até uma lista de quais sejam e vou conferi-los, mas sem grandes expectativas que é como deve ser pra dar espaço à surpresa, alimenta-las pode resultar em uma experiência desastrosa - pelo menos comigo, na maioria das vezes, tem sido assim rs. Quando eu tiver tempo escreverei mais reviews sobre filmes de terror, apesar da prioridade no atual momento, nesta categoria, estar sendo as reviews de animes que pretendo escrever com mais frequência.
      Volte sempre ^^

      Excluir

Postar um comentário

Críticas? Elogios? Sugestões? Comente! Seu feedback é sempre bem-vindo, desde que tenha relação com a postagem e não possua ofensas, spams ou links que redirecionem a sites pornográficos. Construtividade é fundamental.

As 10 +

10 melhores frases de Vegeta

10 melhores frases de Fullmetal Alchemist

10 melhores frases de O Homem de Aço

10 melhores frases de Coringa

Gifs assustadores que não vão deixar você dormir! (Especial Palhaços)

10 melhores frases de Cavaleiros do Zodíaco

10 melhores frases de Death Note

8 momentos mais vergonhosos de Vegeta

10 melhores frases de As Terríveis Aventuras de Billy e Mandy

Enquetes Dragon Ball #12 - Vencedores!