segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Baú Nostálgico #4: Pokémon

Foto: Reprodução

                                                                                    ANTES

Vagas e nebulosas recordações me dizem que a série dos monstrinhos de bolso foi um dos primeiros animes que vi, se não o primeiro - mas aí eu já meio que duvido. Diria que meu contato primordial com a franquia ocorreu por meio de uma nostálgica promoção do Guaraná Antártica, onde vinham aquelas miniaturas de pokémons dentro das "pokebolas". Isso, se não me engano, no ano de 1999 (ou 2000, não lembro bem ao certo). Acho (só acho mesmo) que só fui conferir o anime (uns poucos episódios ou eram cenas avulsas) um ano depois no programa da Eliana na Record, naquela guerra da audiência contra Digimon - que só tive contato pouco tempo depois ou no ano seguinte, 2001, com as reprises no sábado veiculadas no extinto Festival de Desenhos. Algumas (poucas) miniaturas encontram-se preservadas em estado relativamente aceitável (pra não dizer com algumas partes faltando rs).

Em 2004 (achismo de novo) a Globo exibiu a temporada Master Quest da geração Johto e um pouco do início da geração Hoenn, então pude conhecer mais aprofundadamente os personagens de forma que não me foi possível e palpável na Era de Ouro do início dos anos 2000. Outra saudosa promoção foi a dos mini-cards (ainda os tenho) que vinham nos salgadinhos da Elma Chips (destaque para Horsea e Poliwig, os dois mais repetidos). Lembro também de uma manhã de sábado onde estava vidrado assistindo no SBT ao primeiro filme. Sim, aquele clássico onde Mewtwo rouba a cena e o Ash vira pedra.

Colecionei alguns cards (em tamanho padrão) provindos de álbuns de figurinhas, provavelmente na mesma época citada anteriormente e, tal como as miniaturas, elas ainda existem, mas, comparados aos pequeninos, porém, se encontram em bom estado de conservação.

Mas foi entre os anos de 2008 e 2009, graças a RedeTV e o seu TV Kids, que estabeleci uma conexão mais intensa, a qual pode ser definida mais simplesmente como um verdadeiro vício. Foi nesta exata época que minha "Poke-mania" alcançou um nível que eu jamais imaginaria que fosse sentir. Sabe quando você fica viciado numa série e percebe que não tem volta? Então... foi assim na minha experiência naquela época cheia de mudanças na minha vida (lê-se puberdade). De Kanto à Sinnoh. Minha jornada pokémon desta fase foi, ao menos, a pequena parte feliz dela, mas a sensação foi grandiosamente marcante, seja vibrando com as batalhas ou colecionando os então novos cards (mesmo sendo "piratas"), Pokémon participou desse pedaço do início de adolescência e finalzinho de infância .

Lembro de ter elegido meu pokémon favorito: Dollynho Charizard.

Com a adição da TV a cabo na minha vida, em 2011, conferi o desfecho da geração Sinnoh no Cartoon Netowork e o início de Unova no ano seguinte. Esta última, por sinal, a que menos me prendeu e, além disso, a última que acompanhei até o seu agridoce fim.

OBS¹: Acompanhei o desfecho da Geração Johto pela internet, em virtude da não-exibição na Rede TV (talvez a Globo ainda estava com os direitos de exibição ou a Rede TV não quis adquirir essa leva de episódios, o que inclui o início da Geração Hoenn, enfim não sei).

OBS²: Minha experiência com a franquia se limitou apenas ao anime. Em relação aos jogos de vídeo-game e de plataformas móveis, não tenho nada a dizer.


                                                                                   AGORA

Bem, atualmente não assisto mais as aventuras de Ash e Pikachu por finalmente ter caído a ficha de que o anime está passando por um desgaste sofrível. Uma fórmula imutável e gasta. Ash nunca crescerá. Pikachu jamais vai evoluir. A Equipe Rocket nunca vai dar sinais da idade. Ash nunca vai sair do coma.

De qualquer forma, me diverti muito e foi bom enquanto durou.

Adendo: Eu torcia bastante para a Equipe Rocket ter sucesso na captura do Pikachu e vê-los o entregar ao Giovanni.


Aqui o post onde Pokémon está incluso e teço alguns comentários a respeito do meu abandono:

http://universoleituracontoscreepys.blogspot.com.br/2016/08/6-series-que-abandonei.html




*A imagem acima é propriedade de seus respectivos autores e foi usada para ilustrar esta postagem sem fins lucrativos ou intenções relativas a ferir direitos autorais. 

*Fonte da Imagem: http://www.mundofreak.com.br/2016/08/23/misterio-pokemon-go-a-conspiracao/



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Críticas? Elogios? Sugestões? Comente! Seu feedback é sempre bem-vindo, desde que tenha relação com a postagem e não possua ofensas, spams ou links que redirecionem a sites pornográficos. Construtividade é fundamental.