sábado, 10 de setembro de 2016

Diário de Vicky Hattori - A Origem da Violinista Mascarada (Parte 1)


1ª DIA - NOVAS EXPERIÊNCIAS


24/06/2014.

É como se fosse um sonho. Mal consigo acreditar que estou iniciando o primeiro semestre da minha tão sonhada faculdade de psicologia, e o melhor de tudo: reencontrar antigos parceiros e parceiras de infância. Parceiros de amizade. Não pense que eu mantinha relações sexuais com alguns deles no colegial, me esforcei bastante para desmentir todos os boatos espalhados. Hoje iniciei minha primeira aula. Não sei explicar com tantos detalhes... é que me sinto virada do avesso, sonolenta demais para dar início à esse diário, nem sei se deveria continuar, se devo parar por aqui, rabiscar todas as folhas, queimar tudo, fazer bolinhas de papel... Alguém pode acabar descobrindo, mas, por hoje ainda, vou tentar mante-lo fora da vista dos curiosos e bisbilhoteiros, devem estar tão bêbados que esta pequena parte da personalidade deles pode ter sido aflorada.

Já são 4 e meia da manhã, estou escrevendo debaixo das cobertas do meu quarto particular, depois de ter bebido feito uma alcoólatra veterana na "arte" de beber e cair. Participei de uma calourada com uma galera das outras turmas... lembro da música eletrônica alta, das bebidas, dos beijos que presenciei (héteros e lésbicos), dos meus amigos de longa data se divertindo ao meu lado... mas não lembro do que houve antes das 00:15. Só lembro de estar cercada por pessoas e que, agora mesmo, na minha mente, não passam de borrões loucos. Sinto que rodei até ficar tonta e cair.

Fiquei cerca de mais de três horas apagada. Suspeito que algum engraçadinho pôs algo na minha última dose, mas não consigo lembrar se alguém me serviu ou eu me servi, se fui dopada. Antes dopada do que ser estuprada, ainda bem, nada do tipo aconteceu. Agora lembrei que preciso ligar para os meus pais. É permitido visita-los aos fins de semana e com certeza vou vê-los no próximo, mas além de abraços apertados e conversas, pedirei para comprarem um violino estradivário super raro e caro o qual eles prometeram dar no dia do meu aniversário passado, mas as circunstâncias não foram muito propícias... financeiramente. Será que agora vai? Bem... vou fingir que estou dormindo, pelo menos até umas 8 horas da manhã, todos ainda vão pensar que estou apagada/dopada. Também não vou me importar com um livro grosso e velho que deixaram cair perto da minha cama, um livro chamado... Sacrifitorum. Eu lá vou saber de quem é...


CONTINUA... 



*A imagem acima é propriedade de seu respectivo autor e foi usada para ilustrar esta postagem sem fins lucrativos ou intenções relativas a ferir direitos autorais. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Críticas? Elogios? Sugestões? Comente! Seu feedback é sempre bem-vindo, desde que tenha relação com a postagem e não possua ofensas, spams ou links que redirecionem a sites pornográficos. Construtividade é fundamental.