sábado, 7 de fevereiro de 2015

Mitologia em Foco #4: Seth


Excepcionalmente neste sábado, você confere mais uma edição da série Mitologia em Foco. Esta que deveria ter sido postada na semana passada, mas que por conta de alguns contra-tempos teve que ser adiada. Na edição passada abordamos a lenda da deusa Amaterasu, pertencente à mitologia japonesa.

Estreando a egiptologia na série, hoje irei falar sobre Seth, também conhecido como o deus do caos.

Origem e características


Seth (ou Set, Sutekh e Seteh) é também chamado de Nebty (Nebet, cidade do ouro), e é o deus egípcio que representa a violência, a desordem, a traição, o ciúme, a inveja. Também é o deus do deserto, da guerra, dos animais e das serpentes. Considerado um dos mais remotos deuses egípcios, Seth era irmão de Osíris - responsável por trazer a civilização ao Egito - , sendo também a encarnação do mal. Seth era conhecido também como o deus da tempestade no Alto Egito. Além de marido e irmão de Néftis, Seth era filho de Rá e Nut. Fontes afirmam que o mesmo teria rasgado o ventre de sua mãe com suas garras logo após o seu nascimento. Seu único objetivo era assumir o controle dos deuses e ficar no lugar de seu irmão Osíris. Ajudava seu pai, Rá, na eterna batalha contra a serpente Apófis no barco solar.

Sua aparência nariguda e orelhuda provavelmente era a unificação de vários animais, ao invés de representar somente um. Chegou a ser representando como um hipopótamo, considerado como uma ameaça destrutiva e poderosa. Apesar da fama de uma divindade cruel, Seth também possuía qualidades. Ficava a cargo de proteger a barca de Rá durante sua viagem ao mundo oculto. Sempre derrota o demônio Apópis, que o ameaça nas manhãs e noites. Apópis renasce a cada vitória obtida por Seth. A partir de tal conflito, surgem o equilíbrio das forças e a harmonia universal. Logo, a ação contraditória de Seth é a responsável pelo funcionamento do universo.

Lendas 

Seth vs. Osíris. 

Logo após a morte de Osíris, o seu filho e sobrinho de Seth (muitas vezes sendo indicado como irmão deste) , Hórus, inicia um verdadeiro conflito contra Seth, para conseguir assumir o lugar de seu pai. Seth sente-se injustiçado, achando ser o único capaz e forte o suficiente para ocupar tal lugar. O deus do caos manifestou-se perante aos deuses em relação ao posto que considera seu por direito. Na querela surgira a mãe de Hórus, Ísis, que consegue convencer o Ennead, o conselho dos deuses, a não conceder a favor de Seth. No entanto, reuniram novamente para decidirem melhor, desta vez em uma ilha. Ísis transforma-se numa bela jovem para seduzir Seth e assim conseguir a confissão de que o seu filho era digno do trono de Osíris. Seth novamente se manifestara com o conselho, desafiando Hórus a sobreviver por alguns meses na água após se metamorfosearem de hipopótamos. Na tentativa de salvar seu filho, Ísis lança um arpão nas águas, mas acaba fisgando Seth. Irritado pela atitude da mãe, Hórus arranca a sua cabeça fugindo pelo deserto. Após o caso, o conselho o pune por ferir a própria mãe ao que Seth tira seus olhos enquanto dormia. A deusa Hator restaurou sua visão com leite. Após deliberar, Rá, finalmente decidira determinar a favor de Hórus e acolhe Seth para a morada dos deuses.

Adoradores e representações. 

Os egípcios possuíam diversas formas de representar o deus Seth. As mais comuns indicam a presença de animais, em figuras que mostravam parte asno, parte porco, até mesmo tamanduá, além de ser associado a bois e bestas que eram usadas para amassar grãos e cereais que, segundo a lenda, continham o deus Osíris, vítima de sua sórdida perseguição. Em um de seus ataques à Osíris, Seth transforma-se em uma pantera, até que o deus Thot interve e consegue domina-lo, dando oportunidade para Anúbis marcar sua pele e esfolá-lo até a morte. Seth se recupera, partindo para o deserto com a aparência de um touro seguido por Ísis na forma de um cão e Hator na forma de uma serpente venenosa que pica seus adoradores reunidos, deste modo tingindo as areias do desertos de sangue.

Informações extras. 

Seth também pode ser considerado o deus das terras estrangeiras.

Textos do reino Novo descrevem as atitudes de Seth, como, por exemplo, a quebra de paradigmas sexuais, na qual consistia a natureza regada de luxúria que o conduz a encontros hétero e homossexuais inapropriados.

Seth é, na verdade, a representação do supremo sacrifício em prol da justiça.


Trechos retirados e adaptados de: Portal dos Mitos.

Imagens: www.whale.to
                portal-dos-mitos.blogspot.com


Gostou do post? Comente abaixo e compartilhe no G+. 

3 comentários:

  1. "Seth é, na verdade, a representação do supremo sacrifício em prol da justiça."
    Jamais foram ditas palavras tão verdadeiras...
    As pessoas costumavam ver Seth como um deus malévolo e em busca de prazer no caos, sendo que não viam a necessidade de sua existência para que o equilíbrio permanecesse. Sua forma de muitas coisas nos diz que o mal pode vir de todos os lugares, de coisas que você não imagina. Seth é um deus muito interessante pra cultura egípcia, um dos mais importantes e merece seu trono e suas conquistas. Haviam boatos de que o rei Tunthakhamon barganhou com Seth para obter mais riquezas e um legado infinito, isso vemos no filme A Múmia, o reboot. Ele é uma incógnita, e certamente, filosofia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Sah, tanto por ter gostado quanto por ter complementado com a informação sobre Tutankhamon.
      Na próxima edição vem mitologia grega, aguarde ;)

      Excluir

Críticas? Elogios? Sugestões? Comente! Seu feedback é sempre bem-vindo, desde que tenha relação com a postagem e não possua ofensas, spams ou links que redirecionem a sites pornográficos. Construtividade é fundamental.