Pokémon VS. Digimon (Qual vence?)


Sem dúvidas, uma "rivalidade" clássica e, arrisco dizer, atemporal. Digimon e Pokémon são grandes marcos da cultura pop japonesa e com tantas diferenças e semelhanças igualmente gritantes ambas foram responsáveis por tornar mais feliz uma época que infelizmente ficou para trás. Separei aqui nesta lista os seguintes quesitos para definir qual obra se sai melhor no duelo:

Abertura, Sucesso no Brasil, Protagonistas, História, Cenas de luta, Desenvolvimento de personagens, Vilões e Evoluções.

                                                                     ABERTURA

Analisando primeiramente a primeira abertura dos monstrinhos de bolso: Ela é dotada de uma boa melodia e um ritmo bacana, porém é sua letra que se sobressai do resto e no visual faz uma boa montagem de cenas de apresentação desse mundo extraordinário com os principais pokémons da primeira geração (Kanto) com bons enquadramentos. A letra até hoje é cantada por inúmeros covers e é simplesmente um ícone da franquia. Estou me referindo à letra traduzida para o português brasileiro, é o que levo conta nesse aspecto, importante frisar. Já Digimon... é um caso meio complicado e de certa forma engraçado pelo fato da abertura brasileira da séries dos monstrinhos digitais ter recebido uma letra não muito inspirada e a ilustre presença de uma apresentadora global que na época apresentava um famoso programa infantil. Como aqui é considerada a abertura brasileirada, então devo afirmar que Digimon perde uns pontinhos em relação ao seu rival pela letra conter um refrão deficiente em criatividade ("Digimon, digitais, Digimons são campeões" não soa bem inventivo, parece feito de qualquer jeito) e na estética originalmente é ótima, mas daí enfiam a Angélica cantando e fazendo um cospobre da Sora(?) tapando a maior parte das imagens além de dancinhas bem... meh.




Eu não se isso ocorreu uma única vez, mas encarando isso hoje... dá aquela vergonhazinha alheia. Anos depois à exibição na Globo, vi a abertura original, Brave Heart, e, convenhamos, tem arranjos vocais e sonoros muito superiores. Podia ter ganhado uma tradução oficial por aqui, assim como vários animes tiveram, mas em vez disso colocaram aquela palhaçada que quando criança ninguém ligava e hoje acha um negócio escabroso.


Logo, Digimon vence na abertura japonesa. Mas como aqui trata-se exatamente da versão brasileira, é Pokémom que detém o ouro.

                                                            POKÉMON 1 X DIGIMON 0

                                                              SUCESSO NO BRASIL

Eu não vou soltar dados estatísticos sobre qual vendeu mais produtos, coisa que está fora do meu alcance. Me volto para a proporção que cada um obteve nas suas passagens bem-sucedidas quando as manias viraram febres nacionais. Pokémon explodiu no Brasil com várias promoções (Elma Chips e Guaraná Antártica são os maiores exemplos), venda de álbuns de figurinhas e, claro, os famigerados card games. Com o surgimento de Digimon, a série dos monstrinhos de bolso ficou meio ofuscada, porém não sendo tão duradoura. Passado o hype da primeira temporada de Digimon, as coisas foram esfriando gradativamente. Veio o Adventure Zero Two, o Tamers, o Frontier, o Data Squad (alguém lembra desse?) e... fim. À essa altura a franquia tornou-se uma lembrança nostálgica e tudo que envolve Digimon, para grande parte público, passou a ser recordado muito mais com relação à primeira temporada (Adventure). A trajetória de sucesso de Digimon em peso não teve o mesmo apelo de Pokémon que se estendeu por anos, ainda que as duas tenham seguido por fases de "ostracismo", isso chega para toda franquia, variando em intensidade. Enquanto Digimon teve um brilhantismo passageiro em sua exibição pela Globo, Pokémon permaneceu firme e forte entre seus fiéis adoradores ao longo dos anos, sobretudo com os games - Pokémon Go está aí para comprovar.


                                                             POKÉMON 2 X DIGIMON 0

                                                               PROTAGONISTAS 

A partir da temporada Tamers, Digimon torna-se praticamente uma antologia. Pra quem não sabe, é uma série que apresenta diferentes tramas e personagens a cada temporada, sem ter muita (ou nenhuma) ligação umas com as outras. Tivemos Tai, em seguida Davis, depois veio o Takato, logo depois o Takuya, o Marcus, o Mikey Kudo (de Digimon Fusion) e recentemente o Haru (Digimon Universe). Dos protagonistas que vi (de Tai a Marcus), percebi que cada um deles possuíam conflitos internos que eram relativamente bem desenvolvidos. Para citar como exemplo, o Tai, que tinha a obrigação de cuidar da sua irmã mais nova, a Kari, somada as circunstâncias acerca do digimundo e o brasão da coragem que apenas reforçavam esse teor dramático do personagem (a sua relação de altos e baixos com o Matt também entra no pacote). E o Ash, de Pokémon, é apenas um garoto com síndrome de Peter Pan com um background raso, ele apenas determina o objetivo de ser um Mestre Pokémon e sai numa jornada para capturar os pokémons, desafiar treinadores e competir numa liga regional e nada além disso. Os protagonistas de Digimon (pelo menos de Adventure à Frontier) tinham emoções melhor trabalhadas. O Ash é persistente sim, mas sua desenvoltura como personagem é extremamente superficial.

Nesse caso, Digimon ganha seu primeiro pontinho.

                                                               POKÉMON 2 X DIGIMON 1

                                                                       HISTÓRIA

Esse é moleza de analisar, não precisa quebrar muito a cabeça. Pokémon seguiu por temporadas a fio focando-se em Ash Ketchum e seu inabalável sonho de ser um Mestre Pokémon, mas sempre reprisando conceitos fadados aos desgaste. Sempre na mesma "programação": o menino sai de casa, faz novos amigos, captura pokémons, duela com líderes de ginásios, consegue as oito insignias, participa do campeonato, perde, se despede dos parceiros, volta pra sua terra natal, troca de roupa e sai para uma nova jornada numa outra região. Isso gera cansaço e torna tudo mais chato, mesmo com o universo amplo e diversificado da franquia, sempre em constantes adições. Em Digimon começamos com um plot sobre oito crianças que são escolhidas para proteger o Digimundo das forças malignas, com vários bons elementos, como os brasões que indicam as personalidades de cada um dos digiescolhidos. Na segunda temporada as digievoluções ganham outra maneira de ocorrer, já na terceira uma enorme quantidade de conceitos também se modifica (digimons que nascem em cards), na quarta há novidades também (os humanos SÃO os seus próprios digimons!), apenas na quinta que a bagaça deu uma escorregadinha. É uma sucessão de novas abordagens em Digimon enquanto em Pokémon somos "brindados" com uma injusta enxurrada de mais do mesmo. Chega, sem mais.

                                                                 POKÉMON 2 X DIGIMON 2

                                                                       CENAS DE LUTA


O enfoque do anime de Pokémon nunca deixou de ser as batalhas entre treinadores com seus respectivos pokémons. Já ouvi falar que é comparável à rinha de galos (inclusive, isso me deu ideia para uma possível fanfic). Mas será que por esse detalhe a premissa de Pokémon é condenável? O mote principal é este e não tem mais o que discutir. Além do mais, a construção das lutas entre pokémons transparece mais impacto quando os golpes são desferidos aliado, claro, à variedade de movimentos aprendidos e exibidos pelos pokémons. As cenas de ação de Digimon sempre deixaram um pouco a desejar, são meio lentas na movimentação dos personagens e ataques e os confrontos acabam mais rápido que doce na mão de criança, com ocasionas pequenas exceções (também não dá pra esperar um nível de ação com velocidade similar ao de Fullmetal Alchemist, por exemplo).

Com certeza, Pokémon leva a melhor nesse ponto.


                                                              POKÉMON 3 X DIGIMON 2

                                                  DESENVOLVIMENTO DE PERSONAGENS

Como dito anteriormente: Ash é um personagem que não se limita ao seu desejo egoísta de ser o maior Mestre Pokémon da história do universo, o que o torna superficial. Porém, na sua relação com os pokémons já testemunhamos alguns aprofundamentos, como com Pikachu, Buterfree e Charizard no vínculo treinador-pokemon. Misty, Brock, Dawn, May, Max e todos os demais personagens que acompanharam o garoto nas jornadas não tiveram uma exploração digna, com participações igualmente rasas, mas, claro, não menos importantes nas temporadas que foram inseridos. Apenas nos filmes mesmo que esse jogo vira (eles são basicamente um complemento ao anime). Digimon, por outro lado, mergulha no drama de seus personagens para torna-los pessoas melhores e mais fortes ante as adversidades. Sora e sua relação com a mãe, Tai com os cuidados à irmã, Matt e TK superando o divórcio dos pais, enfim, são amostras suficientes que provam o quanto Digimon exercita com louvor, na sua medida, este item tão relevante numa narrativa. Empatando de novo...


                                                               POKÉMON 3 X DIGIMON 3

                                                                              VILÕES


No quesito Nº 4 foi facílimo empatar, agora é o inverso. Em Digimon Adventure fomos apresentados ao icônico Devimon que controlava as muito bem lembráveis engrenagens pretas para infectar digimons e usa-los a seu serviço como soldados do mal. Subsequentemente vieram Etemon,  Mytosmon (com seu aspecto vampiresco), os Mestres das Trevas e, por fim, o temível Apocalymon. Nas temporadas seguintes, a vilania dos caras malvados permaneceu tendo uma influência bastante significativa na história. Para simplificar, Digimon dotava-se de vilões realmente cruéis (para um anime de seu público-alvo). Enquanto em Pokémon... A verdade é que a Equipe Rocket é um grupo de antagonistas alinhados à comédia e cumprem bem esse papel na maioria das vezes (nos filmes não servem para merda nenhuma) e eles até tiveram uma fase com mais "seriedade" em Black&White. Tem as equipes Magma, Aqua e Plasma e o Giovani, líder da Equipe Rocket que mal dá as caras no anime, tampouco chegou a interagir com Ash e cia. Vilões de verdade se expressam com energia, praticam o mal puro de acordo com seus interesses e são poderosos criando desafios com suas ações. Preciso mesmo dizer qual aproveita bem esse elemento?


                                                                 POKÉMON 3 X DIGIMON 4

                                                                           EVOLUÇÕES

Agora chegamos num gigantesco ponto em comum entre as duas obras. E que difícil hein.

O fator Evolução das criaturinhas é um recurso que é desenvolvido de formas distintas. Os pokémons tem um metabolismo que os coloca em crescimento após se fortalecerem com bons cuidados (basicamente como se faz ao bichinho do tamagochi - que por sinal é a semente e raiz de Digimon), além dos treinos com batalhas e aprendizagem de movimentos. Eu diria que a série os trata de uma forma um tanto errônea. Veja bem: pokémons obviamente não falam, embora compreendam a linguagem humana, apenas emitem sons como se dissessem seus nomes. Pikachu diz "Pika, Pika!" (sempre alvo de piadinha hahah). Os humanos definiram os nomes dos pokémons baseados nesses sons. Até aí OK. Acontece que pokémons e suas respectivas evoluções são vistos como criaturas diferentes. Um Charmander (criança) que evolui para Charmeleon (adolescente) e por fim para Charizard (adulto) é o mesmo ser, ele sofreu uma metamorfose. Pokémons possuem de duas a três fases evolutivas e outros que sequer chegam a evoluir/crescer. Os Digimons tinham evoluções temporárias úteis somente nas batalhas contra vilões, divididas em 7 fases: Digitamas (ovos), Bebê I, Bebê II, Criança, Adulto, Perfeito e Extremo (após esta forma retornam a fase Bebê II).

É impossível bater o martelo sobre qual modo de trabalhar a evolução é o melhor. Então me resta ser generoso no final desta disputa. Portanto, as duas recebem pontos. Entretanto...

                                                                                PLACAR FINAL:

                                                           POKÉMON 4 X DIGIMON 5

                                                         COMEMOREM DIGIESCOLHIDOS, COMEMOREM! 


                                                     CHORA NÃO, ASH! EM OUTROS CANTOS VOCÊ GANHA.

*As imagens acima são propriedades de seus respectivos autores e foram usadas para ilustrar esta postagem sem fins lucrativos.

*Imagens retiradas de: https://aminoapps.com/page/pocket-planet-pokemon/7436490/batalha-de-rima-pokemon-vs-digimon
                                     http://sintoniageek.com.br/primeiro-digimon/
                                     https://giphy.com/gifs/pokemon-pikachu-slVWEctHZKvWU
                                     https://br.pinterest.com/pin/460000549411669020/
                                     http://www.geracaodigimon.net/2014/08/15-momentos-marcantes-de-digimon.html
                                     http://sintoniageek.com.br/primeiro-digimon/
                                     http://digimonadventuretri.blogspot.com.br/2017/04/como-se-divide-historia-de-digimon.html
                                     http://www.pausaparanerdices.com/2015/03/17/os-primeiros-digiescolhidos-estao-de-volta-em-digimon-adventure-tri/

Comentários

Postar um comentário

Críticas? Elogios? Sugestões? Comente! Seu feedback é sempre bem-vindo, desde que tenha relação com a postagem e não possua ofensas, spams ou links que redirecionem a sites pornográficos. Construtividade é fundamental.

As 10 +

10 melhores frases de Vegeta

10 melhores frases de Coringa

10 melhores frases de O Homem de Aço

10 melhores frases de Cavaleiros do Zodíaco

10 melhores frases de Fullmetal Alchemist

Gifs assustadores que não vão deixar você dormir! (Especial Palhaços)

10 melhores frases de Matrix

Crítica - Combatentes da Liberdade: Ray

10 melhores frases de As Terríveis Aventuras de Billy e Mandy

10 melhores frases de "V de Vingança"